Arquivo | junho, 2008

Traição: Flores com espinhos

30 jun

Tenho tanto medo de deixar de acreditar nas pessoas, de acreditar no humano e no humanitário. Acho que esse é o meu maior medo! No entanto, sou empurrada para esse abismo muitas vezes.

Nada há de pior que ser apunhalado pelas costas, como se diz por aí. Quando a gente recebe um golpe de um inimigo, dói. Mas é esperado e, portanto, estamos preparados para a dor. E a gente levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!

“Tantas veces me mataron;
Tantas veces me morí;
Sin embargo estoy aquí resucitando;
Gracias doy a la desgracia;
Y a la mano con punal;
Porque me mató tan mal;
Y segui cantando”
(Mercedes Sosa)

Flores com espinhos

Mas, quando a gente é golpeado por quem se diz amigo, aí a dor é multiplicada milhões de vezes, porque dói na alma. Já estou cansada de ver pessoas que traem uns aos outros todos os dias, falam mal pelas costas e dissimulam.

Têm uma porção de pessoas que são assim, principalmente quando há interesses em jogo. O que dói na falta de lealdade são pessoas que não admitem de forma alguma seus erros e mascaram a verdade. O que dói é ver alguém fingindo carinho, quando esse na verdade tem vontade de fazer o contrário.

Ser desleal é dar flores com espinhos.

Lealdade

A lealdade não é uma virtude fácil, tampouco é uma questão de emoção ou sentimento. Lealdade tem relação com respeito, com caráter. Por isso, não adianta achar que alguém, pelo fato de dizer gostar, ou mesmo gostar de verdade de outra, lhe será leal.

Infelizmente…

“Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa; não te alies aos moralmente inferiores; não receies corrigir teus erros.” (Confúcio)

Há luz! Assim espero!

Apesar de recentemente ter visto máscaras desabando de rostinhos singelos, que me magoaram em profundidade, olhei para o lado e encontrei abraços amigos, de braços que nem via. Espera-se mesmo que a amizade, como qualquer outro sentimento, seja uma via de mão dupla. Não existe a possibilidade de só darmos, jamais recebermos e ainda assim sermos realizados nesse sentimento.

Não se trata de um “toma lá dá cá”, mas se trata de um “eu me lembro quando eu precisei e você esteve comigo, portanto agora você precisa e eu estou aqui” e isso há de ser feito com um sorriso nos lábios e muito amor no coração.

Eu ainda teimo em acreditar nas pessoas e que elas são capazes de serem amigas leais, verdadeiras. Será que sou tola?

“Juro delante de usted; juro por el Dios de mis padres; juro por ellos; juro por mi honor, y juro por mi Patria, que no daré descanso a mi brazo, ni reposo a mi alma, hasta que haya roto las cadenas que nos oprimen.” (Simon Bolivar)
Anúncios

Estreiando…

30 jun

Cuidar de página na web, ou de blog dos outros é fácil. Tenho bastante experiência nisso.

Agora, no entanto, me vejo tremendo para escrever as primeiras linhas do meu blog. É complicado fazer isso. Mesmo assim, vou alçar vôo por esse céu.

Não pretendo fazer tese, por aqui… Nenhum debate profundo. Quero falar de coisas minhas, de sentimentos, de como vejo o mundo e o monte de coisas e gente que fazem parte dele.

Acho que esse será um “querido diário”, já que eu nunca tive um.

Um beijo.

var gaJsHost = ((“https:” == document.location.protocol) ? “https://ssl.” : “http://www.”);
document.write(unescape(“%3Cscript src='” + gaJsHost + “google-analytics.com/ga.js’ type=’text/javascript’%3E%3C/script%3E”));

var pageTracker = _gat._getTracker(“UA-6404005-1”);
pageTracker._trackPageview();