Arquivo | abril, 2009

Perdão

30 abr

Hoje ouvi uma pessoa dissertar sobre o perdão.

Ela falava de dar a outra face. De libertar-se do desejo de replicar ao mal recebido. 
Segundo essa pessoa, devo amar e libertar de qualquer culpa aquele que me fez mal. Indultar a crueldade, a perversidade, a iniquidade, a truculência, o pecado de que fui vítima. 
Quem sou eu para anistiar alguém? Não desenvolvi essa aptidão. 
Deus que te perdoe! Se é que Ele pode.

De novo…

30 abr

O Rolo Compressor atacou novamente… Ontem, nos “Aflitos”, passou sobre o Náutico. Como disse: basta ter jogo para ter goleada do colorado.

Gato escaldado

29 abr

O jornal Zero Hora publicou um gráfico com as probabilidades de final da Copa do Brasil. Confesso que estremeci só de pensar numa das hipóteses apresentadas: Inter x Corinthians.

Se alguém aqui acha que é medo de Ronaldo Nazário, se enganou completamente. Quem não se lembra do Campeonato Brasileiro de 2005?
Tenho medo é daquele esquema de manipulação de resultados. Medo que se repita o maior escândalo de arbitragem do futebol brasileiro. Medo do Edílson Pereira de Carvalho e mais medo ainda do Márcio Resende de Freitas.
Campeão moral não leva taça pra casa. É verdade! Mas será que há corintianos que admitem que o Inter é o verdadeiro dono do troféu de 2005? O que me diz, Nivaldo?

Não há, óh gente, óh não!

29 abr

Área de risco

29 abr

Mais uma vergonha do Governo Yeda!

Porto Alegre passou a integrar a área de risco da febre amarela. Já são 279 cidades gaúchas.
Lá em casa já buscamos imunização há dias atrás.
As 150 unidades de saúde da capital, incluindo os postos de saúde da família, vão oferecer a vacina.

Química

28 abr
Ele se aproxima.
Ela treme.
Ele encosta o dorso da mão em seu braço.
Ela se arrepia.
Ele segura sua cintura.
Ela perde o equilíbrio.
Ele a aperta contra seu corpo.
Ela umedece.
Ele a beija.
Ela tonteia.
Ele a estimula.
Ela se entrega.
Ele a possui.
Ela sofre uma turgescência.
Ele tem um orgasmo.
Ela tem múltiplos.
Ele também.
Eles se completam.

Uma jóia no ar!

28 abr
Ontem, conversando com Inácio Carvalho, sobre a música Killing me Sofly, lembrei da interpretação de Simone Rasslan e Adriana Marques, no espetáculo Rádio Esmeralda AM… espetáculo, aliás, que assisti quatro vezes. Três em Porto Alegre e uma vez em Santa Maria.
Então resolvi postar informações retiradas do site Rádio Esmeralda sobre a comédia musical. 
Música e riso num só espetáculo.

A peça teatral Rádio Esmeralda AM é uma comédia musical que retrata um dia dentro da programação de uma rádio AM, com muita música e diversão, em que as intérpretes Simone Rasslan e Adriana Marques encarnam as locutoras Erothyldes Malta e Cat Milleidy, respectivamente.
Em cartaz há 8 anos, sucesso de público e crítica desde sua estréia, o espetáculo já foi apresentado em diversos estados brasileiros, com um número estimado de mais de 300.000 espectadores que já assistiram ao musical.
A promessa das cantoras e atrizes é de execuções musicais comoventes, incrementadas com performances cômicas impagáveis e figurinos bem característicos. O repertório é escolhido e arranjado previamente pela dupla, que executa as canções ao vivo, dentro do programa fictício “Amor de Parceria – A Voz da Mulher no Rádio”.  
A interatividade marca e torna-se um dos grandes baratos de boa parte da 1h15 de programação reservada aos “ouvintes”. O público é convidado a participar de quadros especiais batizados com nomes sugestivos, como “Love Songs”, “Utilidade Pública”, “Horóscopo das Árvores”, “Ouvido Premiado”, entre outros.
Por favor, liguem seus celulares!

Segundo as atrizes, o espetáculo Rádio Esmeralda “é o único no Brasil no qual você deve levar seu celular e deixá-lo ligado”. Isto porque, logo na bilheteria, a equipe de produção anota os números dos telefones daqueles que desejarem participar da programação oferecendo músicas, mandando recados, ouvindo as previsões do seu horóscopo ou mesmo recebendo um rápido e eficaz aconselhamento sentimental. Durante o show, Erothyldes e Cat telefonam aleatoriamente para alguns dos celulares anotados, amplificando a conversa nas caixas de som e arrancando risadas da platéia.    

Para quem for ao teatro com a intenção de reavivar sua memória musical, não faltarão oportunidades. A riqueza do repertório encanta  todo tipo de platéia, passeando do popular ao erudito,  numa seleção de canções primorosamente arranjada pelas cantoras/atrizes. Adriana Marques é cantora,  arranjadora e autora teatral, e Simone Rasslan, além de também desempenhar estas funções, é pianista de formação.
A dupla revive no palco temas de sucesso em diferentes décadas do rádio brasileiro, presenteando o público com releituras de “Quando” (Roberto e Erasmo Carlos), “Devolva-me” (Barros/Lílian), Killing Me Softly (Norman Gimble/Charles Fox), “Fruto Proibido” (Rita Lee), “Canção Pra Inglês Ver” (Lamartine Babo), “Iracema” (Adoniran Barbosa) e “Stabat Mater Dolorosa”  (Giovanni B.Pergolesi), entre outras pérolas.